Translate

sexta-feira, 27 de março de 2015

03 - Vida e Morte

03 - Vida e morte


O Corpo de matéria é simbólico - é uma máquina.

O motor desta máquina é o campo biomagnético pessoal - muito conhecido como áurea.


E o corpo real do ser humano é a Energia que está materializada em forma de máquina do Raciocínio, na glândula pineal -  Raciocínio.

Desta forma, pelo desenvolvimento do Raciocínio, chegamos à inevitável conclusão de que a morte não existe.

E assim justifica a grande lei universal: nada se perde, nada se cria, tudo se transforma.

Na vida das aparências, ou vida material, quem se liga apenas na "máquina" não entende o que acontece com a "força vital", para onde vai. E muito menos é capaz de entender quem é a "fábrica" desta máquina - o Corpo de Energia Racional, para poder nascer neste mundo de matéria, trocando a máquina a cada nova geração.

A palavra morte é uma palavra inventada pelos primitivos, antigos "atrasadões", que não conheciam os movimentos naturais da Natureza.
Ninguém nunca morreu e sim, sempre se transformou de uma vida para outra. Na mesma classe de animal Racional, por a fase ser a fase de animal Racional.
Era somente a transformação de uma vida para outra.

Quem se transforma não morre.
 Coisa alguma termina de vez. 
Morte é uma palavra engenhosa do artifício, porque ninguém se conhecia e ninguém sabia qual era a causa das transformações.
E por ninguém se conhecer, criaram essa palavra chocante e apavorante, artificial, de morte.
Porque quando criaram essa palavra, eram muito atrasados e não tinham alcance nenhum das transformações das leis naturais da Natureza.